RUMO A PADMASANA E MULABANDHASANA COM BOBBY CLENNELL

RUMO A PADMASANA E MULABANDHASANA
COM BOBBY CLENNELL – 
ABERTURA DOS QUADRIS

mulabandhasana

Notas de Marcia Neves Pinto[1]

Swastikasana

Adho Mukha Swastikasana

Eleve o tronco, apoie as mãos no chão e salte para

Adho Mukha Svanasana

Salte para

Uttanasana côncavo

Solte a cabeça e vá para

Uttanasana

Uthita Parsva Konasana – lado direito – flexione o tronco para a D  levando o cotovelo externo ao joelho interno para levar o glúteo da perna da frente para frente através da resistência cotovelo – joelho.

Baddha Konasana – sente-se sobre mantas (o suficiente para o topo do sacro não cair). Use as mãos para girar as coxas de dentro para fora desde o topo até a base. Use os polegares para girar as panturrilhas, desde o joelho interno, de dentro para fora, preparando as pernas para Padmasana. As coxas externas descem primeiro. Os joelhos internos se afastam um do outro. Os metatarsos se afastam uns dos outros.

Upa Vista Konasana – caminhe com o quadril para frente até sentir a borda superior interna das coxas se estenderem, mas sem entrar em Sama Konasana!

Flexione o joelho D apontando-o para o teto, gire o pé D para fora, alinhando a borda interna com a linha frontal do tapete. Traga o pé para trás, até alinhar o joelho D com o ísquio D: o pé continua com a borda interna alinhada com a linha frontal do tapete: no melhor dos mundos, o calcanhar D está alinhado com o ísquio D. A tendência é do ísquio D ficar mais leve que o E: coloque peso no ísquio D, leve-o para o chão. Para alinhar o joelho e os ísquios, flexione o braço D, levando o cotovelo externo D contra o joelho interno D, criando a resistência entre cotovelo – joelho. Traga a perna flexionada de volta para

Baddha Konasana

Estenda as pernas em Dandasana e repita

Uthita Parsva Konasana – lado esquerdo – flexione o tronco para a D levando o cotovelo externo no joelho interno para levar o glúteo da perna da frente para frente através da resistência cotovelo – joelho.

São muitos anos de prática e paciência para construir estamina. Depois de 30 anos de disciplina é possível permanecer nas posturas de pé sem morrer.

PARA TRABALHAR A ARTICULAÇÃO DOS QUADRIS BASTA SENTAR EM UPA VISTA KONASANA POR 1 HORA.

Upa Vista Konasana – caminhe com o quadril para frente até sentir a borda superior interna das coxas se estenderem, mas sem entrar em Sama Konasana!

Flexione o joelho E apontando-o para o teto, gire o pé E para fora, alinhando a borda interna com a linha frontal do tapete. Traga o pé para trás, até alinhar o joelho E com o ísquio E, o pé continua com a borda interna alinhada com a linha frontal do tapete: no melhor dos mundos, o calcanhar E está alinhado com o ísquio E. A tendência é do ísquio E ficar mais leve que o D: coloque peso no ísquio E, leve-o para o chão. Para alinhar o joelho e os ísquios, flexione o braço E, levando o cotovelo externo E contra o joelho interno E, criando a resistência entre cotovelo – joelho.

Uthita Parsva Konasana – com cadeira.

Padanghustasana I – com cadeira.

Padanghustasana III (lateral) – com cadeira.

Supta Padanghustasana I – com 1 cinto nos metatarsos e perna a 90º.

Supta Padanghustasana III (lateral) – com 1 cinto e 1 manta colocada obliquamente na lateral do quadril externo da perna que vai se elevar = encaixar o trocanter no acetábulo. Quando a perna é elevada a 90º na lateral do tronco trabalhamos mais a coxa interna. Se elevamos a perna mais em direção ao ombro, trabalhamos mais a abertura do quadril e o alongamento do ísquiotibial.

Supta Padanghustasana II – preparação.

Supta Padanghustasana II – completo.

Padmasana – em 3 etapas. (1) A partir de Dandasana faça Ardha Padmasana. Se tudo está bem,  (2) flexione o joelho E e coloque o pé apoiado sobre um bloco deitado em frente ao joelho D. (3) Se o joelho D estiver mais baixo que o E (que está sobre o bloco), traga o pé E sobre a coxa, se não, coloque-o embaixo do joelho D. Eleve as costelas posteriores para longe do chão. Para sair, estenda as pernas em Dandasana, eleve uma perna de cada vez e abra com as mãos os joelhos posteriores para recuperar a cartilagem.

Padmasana deve ser trabalhado rapidamente, a não ser que tenha nascido na Índia ou jamais usado cadeira para sentar: nossos joelhos não foram preparados para a permanência nesta postura, segundo entende Bobby Clennell.

Repita tudo mais uma vez, mais rápido na evolução do asana. Agora, se não há qualquer problema com os joelhos, busque aproximar os joelhos um do outro, alinhando-os com os quadris. Se tem qualquer coisa errada com os joelhos, mantenha-os mais abertos que os quadris.

Supta Padmasana – com cinto.

Dandasana

Mulabandhasana –  contra a parede, com 3 blocos.

Dandasana

Sirsasana

Salamba Sarvangasana – com mantas e cinto.

Savasana

 Se você não é um praticante regular de Iyengar Yoga, não é aconselhável fazer esta prática sozinho: faça a si mesmo um favor e busque um professor certificado no site da ABIY (www.iyengar.com.br).

Namaskar!

[1] Qualquer incorreção encontrada nas anotações é de  minha inteira responsabilidade, não dos ensinamentos da prof. Senior Bobby Clennell.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s